10 sinais de que já estás “nos trinta” – os festivais de verão

1. Apercebes-te de que existem mais festivais do que fins de semana e isso parece-te despropositado. Mas quem é que tem pachorra/dinheiro/tempo para isto?

2. Percorres os nomes das bandas nos cartazes e tens a sensação de estarem escritos numa língua que não conheces.

3. Encontras um cartaz que te entusiasma. Ponderas ir, afinal és jovem e os fins de semana são para curtir. Começa a uma quinta feira. Às 15h.

4. O festival coincide com uns dias de férias que já tinhas marcado. Excelente! Nenhum dos teus amigos está disponível para ir contigo. Ninguém. Zero.

5. Uma banda que adoras vai tocar num festival. E num sábado! Compras o bilhete, confirmas a companhia. #vaisersócurtir #estamoslá #sunfunandfestivals

6. Sais de casa às 14h para estacionar, entrar e comer qualquer coisa com calma antes dos concertos começarem. Depois de 1h para estacionar, 1h na fila para trocar o bilhete por uma pulseira e 1h para passar a segurança dás por ti, num recinto cheio da parafernália dos patrocinadores, publicidade e stands com música em altos berros. Sentes uma sobrecarga de informação sensorial e pensas que deve ser fome. Lutando com as tonturas e alguma dormência lá encontras uma barraquinha (a que tinha menos fila) e compras um cachorro deslavado e uma imperial.

7. Verificas as horas, ainda falta uma hora para o concerto começar. Se calhar é melhor ir agora à casa de banho, pensas. Esticas o pescoço e procuras as casas de banho. Não percebes quais são as das mulheres e quais as dos homens, saem alternados dumas e outras. Não interessa também, não és pessoa de mariquices. Avanças, sem medos, para a primeira que vaga, entras e fechas a porta de plástico. Tentas virar-te, roças com a mala nas paredes, baixas as calças e tentas posicionar-te. Quase que tens de enfiar a cabeça no urinol. Mas quem é que desenha esta merda?! Encostas o queixo ao peito para poupar espaço e olhas para os pés. Tens as calças a embeber o liquido do chão. É chegar a casa e deitá-las fora. Acabas o que ias fazer e procuras um pedaço papel. Querias….

8. Sais e voltas à confusão. Reparas melhor e estás no meio de milhentas crianças com metade da tua idade. Elas de calção curto, meio top, camisa e sapato de plataforma. Pensas no que trazes vestido – que achavas super cool– e dás com os olhos noutro espécime que, como tu, enverga uma tshirt da banda, calça de ganga e uns all star. É a mãe de uma das crianças. Engoles em seco, sacodes os pensamentos negativos – estás aqui para te divertires! – e diriges-te ao palco. No meio e à frente, para ver bem, é que é fixe.

9. Começa o concerto e o espaço que tinhas à tua volta de repente colapsa e dás por ti no meio de um grupo com uma média de idades de 15 anos, só consegues ver smartphones a gravar vídeos, tirar selfies ou mandar sms. Ouves a música nos intervalos dos guinchos das miúdas e quando dás por ti já te dói o sobrolho de franzir a testa. Decides cantar as músicas todas, o mais alto que consegues. És bué fixe porque já tens bué anos de experiência destas cenas.

10. Acaba o concerto, falta-te a voz, tens as pernas como gelatina, sentes uma camada peganhenta na pele. Em esforço arrastas-te até ao carro. Lá encontras a viatura, entras e depositas o corpinho no assento. Estás de rastos, dói-te a cabeça e o universo. Nunca mais.

J.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s