Joaninha voa, voa…para Budapeste

Budapeste, Hungria, Setembro 2015, 4 dias.

TOP +:

Os banhos. Tem de vir em primeiro lugar. Em Budapeste há imensos banhos termais e o difícil é escolher. Experimentámos os mais antigos e populares: os banhos Széchnyi. Apesar de estarem um bocadinho sobrepovoados para o meu gosto adorei os banhos. É o paraíso para os fãs de piscinas! Piscinas interiores, exteriores, quentes, mornas, frias, banhos turcos e saunas. Vai ficar para sempre na minha memória a imagem dos homens a jogarem xadrez na piscina!

IMG_20150904_181720

A dimensão. É uma cidade enorme, cheia de movimento e bastante organizada. As ruas são largas, andei sempre à vontade sem grandes aglomerados de pessoas. Talvez por ter vindo de Praga assoberbada com o número de turistas, o espaço em Budapeste soube-me muito bem.

O parlamento. Impõe-se no horizonte de Pest e é um edifício impressionante. Se estiver muito calor, os bancos que o rodeiam são óptimos para descansar e aproveitar a sombra enquanto apreciamos o edifício.

O Danúbio. E as pontes. E os barcos. E os passeios nas margens.

IMG_20150903_214011

O castelo. Ou melhor, toda a zona do castelo, em Buda. Foi onde ficámos alojados e recomendo sem hesitar. É uma zona de acesso condicionado e por isso, à noite, extremamente sossegada. Do bastião dos pescadores tem-se das melhores vistas sobre a cidade. Em minha opinião não justifica pagar para subir ao primeiro andar, 3 metros não fazem diferença na vista.

Este era o cenário à saída do apartamento onde ficámos (Igreja de S. Matias):

IMG_20150903_223833

A comida. E o mercado. Por norma alugamos apartamentos e fazemos pelo menos uma refeição em “casa”. Normalmente ao jantar. Isto porque o orçamento é sempre limitado e porque a-d-o-r-a-m-o-s andar nos supermercados, mercados e feiras a ver e cheirar coisas diferentes. Acabamos sempre por comprar coisas a mais, por comer coisas esquisitas a horas estranhas e é das coisas que mais gostamos fazer. Neste dia o menu foi composto por lombos de porco (comprados já temperados para experimentar), cenoura, batata e pimento branco (nunca tinha visto pimento branco. Em Budapeste havia por todo o lado) salteados. Tudo cinco estrelas!

IMG_20150902_203426

TOP -:

A língua. O húngaro é dificílimo de decifrar e há muito pouca coisa traduzida para inglês. A certa altura já ia conseguindo saber umas palavras mas no geral peca pela falta de informação noutras línguas.

Dicas avulso:

Andem de metro. A cidade é bastante grande e os transportes são eficazes e baratos. A rede de metro de Budapeste é das mais antigas na Europa e é uma experiência interessante. Não se esqueçam é de validar o bilhete à entrada do metro, nas caixinhas cor de laranja! Os revisores não perdoam!

Ao fim da tarde bebam uma cerveja no centro. No centro, ao fim da tarde, a praça Deák Ferenc tér enche-se de pessoas e vida. Juntam-se ali jovens a tocar, a andar de skate, de bicicleta ou simplesmente a conversar sentados à beira de um lago de agua quente. Trazem as bebidas de casa, sentam-se com os pés na água e ali ficam. Tem também diversas esplanadas com música e comes e bebes.

É das cidades a que pretendo voltar e conhecer melhor.

J.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s