7 dias na Riviera Maya

2015-08-15 12.40.48
Estas fotografias são da minha autoria @Todos os direitos reservados

Antes de mais, há uma coisa que devo dizer sobre a Riviera Maya: quem vai, quer voltar.

Até porque 8 dias é muito pouco tempo para ver, conhecer e aproveitar tudo o que a Riviera Maya e o México têm ao nosso dispor. Portanto, sendo por um período de 8 dias, será sempre uma viagem de escolhas.

Deixo-vos aquelas que foram as nossas, sempre tendo em mente que seria, a primeira de muitas viagens a este país fantástico.

Quando começámos a planear, a nossa primeira ideia era visitar e conhecer o máximo possível, andar todos os dias em passeios. Quando chegámos ao Resort mudámos os nossos planos, de imediato. Tínhamos de tirar, pelo menos 2 dias para aproveitar aquele paraíso e tudo a que tínhamos direito.

E, assim, estas foram as nossas opções (sim, ficou muito por ver e por fazer, mas fica para a próxima ).

Dia 1. 

Catalonia Playa Maroma  

Porque chegámos no dia anterior perto da hora de jantar e porque  descobri que nasci para aproveitar a praia das caraíbas, debaixo de uma palmeira a beber um mojito, dois mojitos, três mojitos…

Cada um tem o seu dom, este é, definitivamente, o meu.

Dia 2.

ISLA CONTOY TOUR e ISLA MUJERES

Fomos através da Ocean Tours e é um passeio que vale mesmo a pena.

Isla Contoy é, sem rodeios, um paraíso na Terra ( e preservação é a palavra de ordem, tanto que não podemos utilizar protector solar ou repelentes, recomendando-se a T-shirt sempre vestida – ou será escaldão pela certa).

Antes de chegarmos a Isla Contoy paramos em mar alto para fazer snorkel ou dar uns mergulhos. A viagem demora cerca de uma hora, mas é sempre animada e os guias demonstram uma excepcional preocupação com toda a gente (insistindo constantemente para que bebamos água, que têm à nossa disposição durante todo o dia).

Almoçámos em Isla Contoy, umas iguarias feitas ali mesmo na praia, pela tripulação do barco.

 

Dali partimos para Isla Mujeres, mas só para um passeio de meia hora, para visitar. A verdade é que depois de Contoy, Isla Mujeres é bom para parar e dar uma volta pelas ruelas, só. Nem sequer fomos à praia.

Dia 3.

AKUMAL

Também com a Ocean Tours  fomos até dois Cenotes e nadar com Tartarugas em Akumal (recomendação de uma amiga, a quem felizmente dei ouvidos).

Adorámos fazer snorkeling  no Cenote Chikin Ha, onde visitámos também uma altar Maia. A água é gelada, mas é tudo lindo, para onde quer que se olhe.

Seguimos para Akumal, onde nos preparámos para nadar com Tartarugas, tomamos um duche para nos livrarmos de qualquer protector ou repelente que possa ser prejudicial à saúde das mesmas e lá fomos. É indescritível. Nadar a escassos centímetros destes animais foi uma experiência maravilhosa, um dos highlights da viagem.

ocean-tours-whale-shark
Foto daqui
ocean-tours-1
Imagem daqui

Dia 4.

Demos um passeio por Playa del Carmen para conhecer, pois estávamos bastante perto. É uma zona muito turística, é giro dar um passeio pela Quinta Avenida, embora esteja longe de ser o sitio ideal para comprar “recuerdos”, sobretudo para quem tenciona ir ao Chichen Itza.

iPhone - Foto 2015-08-10 21_52_29

                    Estas fotografias são da minha autoria @Todos os direitos reservados

Nesta noite, fomos ao Coco Bongo, às quartas é Ladie’s Night.

Um conselho: levem mesmo algo confortável calçado, o que vão ver é um espectáculo de 4 horas, em pé ( a menos que adquiram bilhetes com mesa, claro).

Coco Bongo não é uma discoteca nem um local de espectáculos, é tudo isso e muito mais. Estava cheio, mas não senti qualquer insegurança, pelo contrário, e apesar de ser uma discoteca com bar aberto, não vi qualquer desacato ou altercação.

O espectáculo tem de tudo, desde malabarismo a contorcionismo, música, dança, um bar que se transforma num palco e vice versa, pessoas que voam por cima de nós e lutas entre super-heróis.

Dia 5.

Catalonia Playa Maroma 

Dia 6.

Chichen Itza

Saímos bem cedo e estava um calor que não se aguentava. O pior desta excursao que fizemos através da Jolidey, foi uma paragem técnica num parque de artesanato ( que só serve para enganar turista). É daqueles sítios que tem, claramente, essa função, o que se nota pelo “markting agressivo” dos vendedores. Um conselho: fiquem no autocarro, porque não vale nem o esforço.

Depois desta perda de tempo, chegámos a uma das sete maravilhas do Mundo: pirâmide de Kukulkan, em Chichen Itza. E percebemos logo a razão.

Chichen Itza é um local mágico e gigante, não é só a pirâmide de Kukulkan em si mas todo um complexo, contruído pelos Maias e cheio de segredos que o nosso guia, nos foi contando e mostrando (ali, tudo tem uma função e explicação, os Maias não deixaram nada ao acaso).

iPhone - Foto 2015-08-14 18_53_25
Estas fotografias são da minha autoria @Todos os direitos reservados
iPhone - Foto 2015-08-14 19_01_28
Estas fotografias são da minha autoria @Todos os direitos reservados
iPhone - Foto 2015-08-14 19_01_20
Estas fotografias são da minha autoria @Todos os direitos reservados

Se durante a estadia virem um dia mais fresco, vão nesse dia.

Este é, estranhamente ou não, o melhor local para ver e comprar artesanato, aqui vimos coisas que não vimos em mais lado nenhum.

Depois parámos naquele que foi uma grande decepção para mim: cenote Ik Ill ( sim, também vi fotos maravilhosas, mas…) quando lá cheguei, parece só uma piscina municipal, das más. A confusão era tanta, era tudo tão estranho e pouco acolhedor ( a beleza natural deu lugar a escadarias de pedra e balneários onde se alugam coletes a preços exorbitantes) que só tirámos umas fotos e fomos um sítio mais sossegado).
iPhone - Foto 2015-08-14 22_21_05                  Estas fotografias são da minha autoria @Todos os direitos reservados

Dia 7. 

Catalonia Playa Maroma  e regresso a casa, com muita pena

 

Dicas Práticas:

Emigração e Alfândega:

No voo para o México, foi-nos entregue um questionário para preencher e entregar na alfândega. Passamos a  imigração, onde nos emitem uma licença de turismo mexicana, que devolvemos no regresso ( sim, a parte da emigração e da alfandega demora…).

No regresso, temos de pagar uma taxa, aquando do Check in de 55€ por pessoa ( fica mais caro em pesos)

Horários

As excursões saem bem cedo e são pontuais, foi uma surpresa, mas a pontualidade mexicana é igual à britânica.

Clima

Durante todo o ano o clima encontra-se  quente e com sol, com uma média de temperaturas máximas  de 30 ° e muita, muita humidade

Muito cuidado com o Sol. Todos os protectores são pouco, se não renovados frequentemente, mesmo à sombra o sol queimava (really!)
Àgua
Apenas água engarrafada, mas toda a água usada no Hotel é sempre  engarrafada.
Insectos
Levar repelente, muito. Nunca tivemos problemas.

Outros:

Levar um chapéu ( vai ser muito útil em Chizen, por exemplo) e sapatos para andar dentro de água (essenciais nalgumas  praias e nos cenotes).

Onde ficar: Sem dúvida Catalonia Playa Maroma Privileged   ( quando voltarmos, vamos para lá, serviço e atendimento de excelência, uma praia maravilhosa, um tudo incluído onde não falta absolutamente NADA).

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s