Em resumo: a gravidez, o parto e o primeiro mês

Em resumo porque o tempo e a vontade escasseam (comecei a escrever este texto há 3 dias) e não porque os três assuntos não deem pano para mangas.

Mas, como em muitas outras coisas, o mais difícil muitas vezes é (re)começar.

A gravidez, o parto e o primeiro mês

A gravidez

Correu tudo bem, não sofri quase nada com as maleitas típicas da gravidez e aprendi muito, especialmente sobre o que o nosso corpo consegue fazer e sobre gestão de expectativas.

Ora eu tinha muito poucas expectativas definidas relativamente à gravidez e como decorreria e etc. Não sei porquê, nunca pensei muito sobre isso, não me lembro de brincar com bonecas e bebés quando era pequena nem de fantasiar sobre o meu bebé.

Achei que durante o tempo da gravidez conseguiria fazer esse trabalho imaginário, necessário para nos prepararmos para o novo papel que vamos assumir e para as adaptações que irão ocorrer. Mas não, não o consegui fazer e isso somado a ter estado muito tempo sozinha em casa resultou em dois trimestres menos felizes.

Além de me sentir uma baleia, sentia-me uma baleia triste.

whale

O parto

Durante as aulas de preparação para o parto abordam-se várias situações que podem ocorrer, as várias formas como pode decorrer e isso ajuda-nos bastante a ficar menos ansiosas.

Até que chega o dia P e as coisas correm todas de forma diferente. Cada parto é um caso e o meu estava a ser diferente do que tinha ouvido e na verdade mesmo que me tivessem dito como ia ser, nada me podia preparar.

Nada. 

seahorse
Dica evolutiva: ser como os cavalos marinhos.

Mas acabei por esquecer as partes menos boas e focar no resultado final. Abençoadas hormonas.

O primeiro mês

E de repente estás em casa com um bebé nos braços e tudo muda.

Mentira. Não muda nada, tudo se adapta. Nós a ele, ele a nós, a casa ao novo inquilino, as rotinas às novas exigências, o corpo aos novos ritmos.

Se é fácil? Não. Se é espectacular? É.

Optei por seguir à risca as indicações do pediatra: esquecer a bagunça da casa, evitar a azáfama das visitas, despachar as tarefas rotineiras (do troca fralda, dá banho e etc) e aproveitar todos os segundinhos para contemplar o bebé.

Foi o melhor e mais útil conselho que me deram. Gastar todo o tempo a olhar para ele, a vê-lo em câmera lenta, registar todos os pormenores e sobretudo absorver tudo o que ele tem para ensinar.

200w_d

J.

GIFs daqui.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s